domingo, 30 de novembro de 2008

Pare e pense






Pare e pense e AJUDE



Saiba como aqui:http://hippopotamo.blogspot.com/2008/11/como-ajudar-as-vitimas-de-sc.html

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

É bom andar a pé

É bom andar a pé, sem direção, sem lenço, sem documento.
É bom andar a pé, com a cabeça ao relento, batendo ao som do vento.
É bom andar a pé, na areia fofa, na terra ardida, na primavera florida.
É bom andar a pé, na grama recém cortada, na hera recém aparada.

É bom andar a pé, na chuva...
É bom andar a pé, na encosta da praia...
É bom andar a pé, cuidando apenas do boné...

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Anel Dourado

Um dia na fila do caixa, estavam duas crianças.
Quem os observava percebiam que aquelas crianças eram realmente necessitadas, pois suas roupinhas não passavam de farrapos, nem ao menos tinham calçados para por naqueles pequeninos pés, que há muito o tempo já o judiaram.
Suas mãozinhas eram mãos já calejadas, mãos que não pertenciam ao corpinho frágil de uma criança.
Suas vozes eram pequenos sussurros, talvez a muito já oprimidos.
O que eles queriam na fila do caixa?
A menina segurava em suas mãozinhas, um pequeno anel dourado, segurava com tanto carinho que parecia que se ela fizesse um pequeno movimento ele ia se dissolver...
O irmão jogava por cima do balcão algumas moedas, e tateava dentre os bolsos da roupa algo mais, mais ainda faltava muito para que a compra daquele anel pudesse ser efetuada.
Ele então desiste, pega o anel das mãos da irmã, não sem o mesmo cuidado e devolve para o caixa. A menina tenta mais não consegue esconder as lagrimas que correm teimosas sobre o seu rosto.
Um homem que observava toda a cena, até agora imóvel, absorto em suas conjecturas, resolve interromper dando o dinheiro para o caixa, descobriu que o anel não tinha muito valor, mas que para aquelas crianças eram uma fortuna, o entrega novamente para as crianças.
A menina abriu um enorme sorriso, e o abraçou, o homem sentiu que eles nunca tinha recebido um abraço tão verdadeiro e afetuoso.
O homem então soube o porquê daquele anel ser tão importante.
A mãe das crianças estava em casa muito doente, e eles sabiam que logo, logo, ela iria para o céu.
Um dia eles ouviram falar que no céu era tudo brilhante feito ouro, e brilhava muito como aquele anel dourado.
A menina disse, para o estranho, entre sorrisos e lagrimas, que com aquele anel, a sua mãe também iria brilhar muito no céu...
O homem vendo o irmão por as mãos nos ombrinhos da menina e a guiar até em casa, como se fosse um anjo a protegê-la, e eles não desgrudavam os olhos do pequeno anel, e por vezes e muitas vezes olhavam para traz e abriam um enorme sorriso, num eterno agradecimento...
Os olhos do estranho se inundaram de lagrimas... E ele se perguntou: A que mesmo as pessoas dão valor?

sábado, 22 de novembro de 2008

Irrita-se

Faz parte do ser humano.
Irritam-se com o trânsito, muito lento, rápido demais, motoristas sem educação.
Irritam-se, chapinha no cabelo mal feita, esmalte que criou bolinhas, calça que de repente ficou apertada...
Irritam-se com o time que perdeu, com a novela que acabou bem na hora do clímax, com o filme, livro que não teve um final feliz...
Irritam-se, o arroz salgou demais, o leite derramou no fogão, o feijão que azedou...
Irritam-se, com o galo que cantou na madruga, com o lixeiro que não passou na hora certa, com a porta do vizinho que bateu...
Irritam-se com a chuva que estraga, com o sol que queima a pele...
Irritam-se com quem reza em demasiado, com quem já perdeu a fé...
Irritam-se com quem chora, ri, esbraveja e cala...
Irritam-se...
Irritam-se...
Irritam-se...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Brasil cor de anil


Brasil pode encontrar em pau-brasil, nome, sobrenome, rua, avenidas, etc.
Meu Brasil é um Brasil cor de anil, às vezes e muitas vezes tingido de um vermelho sangue, que fere a alma e o coração de quem o olha.
Brasil é cor de anil, que mesmo sendo tão grande é tão ingênuo, ao ponto de vender uma imagem negativa para os outros.
Brasil é cor de anil, tem Cristo Redentor, praias belíssimas, tem uma das maiores metrópoles, tem o Rio de Janeiro, tem e abriga o maior pulmão do mundo...
Brasil é cor de anil, nosso povo tem muita cultura, sim senhor!
Brasil é cor de anil, meu Brasil é cor de anil!!!





foto: gilgiardelli.wordpress.com/.../

sábado, 15 de novembro de 2008

Mais um ano

Hoje se completa mais um ano de vida!
Talvez seja presunção de minha parte, mas quero agradecer a todos os que passam, e que passaram pela minha vida.

Aqueles que evitam as pessoas vulgares e egoístas;
A você que no ruído e na pressa encontra a paz e o silêncio;
Aqueles que nunca se compararam com os outros e por isso se tornam incomparáveis;
A você que consegue seus méritos sem sacrificar seus princípios;
A você que mesmo depois das turbulências manteve os pés no chão;
Aqueles que mantêm sempre o interesse pelas coisas, mesmo que sejam as mais humildes;
Para aqueles que mesmo através das maledicências, enxerga as virtudes de cada um;
Aqueles que reconhecem um herói a cada esquina, e se torna um quando necessário;
Para aqueles que não se deixam torturar por fantasias e fantasmas;
Para aqueles que assim como Nona, aceitam as lições dos anos;
Para aqueles que estão em paz com Deus, não importando como os conceba;
A todos que tem o direito de estar “aqui”;
Aqueles que me escutam;
Aqueles que gostam de animais, plantas, doces, salgados, terra, maças...
A todos que amam a vida!

A todos que assim como eu tem a sua historia!
A todos que assim como eu completam mais um ano!
A todos que assim como eu tem muito que agradecer!
A todos que assim como eu tem pouco ainda a pedir!
A todos que assim como eu está de “PARABÉNS!!!”

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

MÃE


Posso defini-la como uma simples mulher, que traz talvez um pouquinho de Deus, mas que olhando a sua dedicação, zelo e amor tem a semelhança de um anjo.

Tem comportamentos de uma mocinha, palavras de moça, mas a sabedoria de uma anciã.

E como anciã, adora ser sábia, mas às vezes assume um comportamento simplista.

Inspira força, coragem, mas se estremece ao som do sorriso ou o choro de uma criancinha.

Pode parecer fraca, frágil, mas é capaz de enfrentar as mais duras feras.

Seu sorriso, às vezes é cansado, mas nele percebemos que o brilho do sol nunca acabará!

Esquece-se a si mesmo, para pensar em seus filhos;

Que sempre almeja o nosso sucesso esquecendo de seus próprios anseios;

Vibrando com as nossas conquistas e vitórias, esquece que o seu papel foi fundamental, que sem a sua presença não seriamos nada;

Aplaude-nos sem se dar conta de seu próprio mérito;

Que ao receber injustiças nos reponde com amor!

Que a vida inteira tem um único desejo: que Deus abençoe seus entes queridos!

Mãe! Podem defini-la como uma simples mulher... Mas essa simples mulher merece ser amada, endeusada, encorajada, motivada, presenteada, adorada, beijada, idolatrada, ajudada, cheirada, respeitada, e sempre que possível abraçada!

AMO-TE MUITO!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Imagine



Um estranho um dia aparecesse do nada e diz:

-Olha! Sabe aquele paraíso do qual as pessoas falam e procuram tanto, ele está ali! Logo ali! Escondido em algum cantinho, pronto para aparecer! Só basta procura-lo!

O estranho sustenta o olhar para o infinito e prossegue:

-Sabe! Um dia ainda vai existir um lugar na face da terra, onde as pessoas não serão mais insanas, ao ponto de matarem umas as outras, deixarem seus semelhantes passarem necessidades, crianças vivendo sobre dejetos humanos, pela rua, sem teto...

O estranho para inspira e expira varias vezes antes de continuar:

-Talvez ainda chegue o dia, em que não exista mais religião, vai existir sim a crença! Onde todos serão de uma só irmandade, sem aquela extrema necessidade de uma ganância, poder, individualidade, onde não há a busca por posses, nem muros...

-Imagine!!! A palavra de honra ser a “partilha”, partilhar o pão, o acalento, a flor, um abraço paterno, a força de um aperto de mão, o gesto do amor, partilhar a proteção, partilhar o gesto, a melodia, partilhar o som do sorriso, a paz...

O homem para e vê as suas próprias mãos:

-Não deveriam existir mais mãos calejadas, suadas, retorcidas pela dor, trabalho árduo...

Imagine, imagine e imagine, diz o estranho arqueando o peito e respirando fundo:

-Morar numa ruazinha cercada de árvores, ao som dos pássaros e as pessoas entre eles: velhos, crianças, pessoas com necessidades;

O estanho sorri, um sorriso sonhador, e cita o trecho de uma musica:

“Você pode dizer que sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Espero que um dia você se junte a nós
E o mundo será um só” *

Jhon Lennon. Imagine (tradução)

domingo, 2 de novembro de 2008

O olhar do educador

video

Meus oito anos

simplesmente lindo!



Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !
Como são belos os dias
Do despontar da existência !
- Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é - lago sereno,
O céu - um manto azulado,
O mundo - um sonho dourado,
A vida - um hino d’amor !
Que auroras, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar !
O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia,
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar !
Oh ! dias de minha infância !
Oh ! meu céu de primavera !
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã !
Em vez de mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã !
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
De camisa aberta ao peito,
- Pés descalços, braços nus -
Correndo pelas campinas
À roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis !
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo,
Adormecia sorrindo,
E despertava a cantar !
Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !
- Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !


Casimiro de Abreu

Este é o livro original, “As Primaveras”, publicado em 1859.

sábado, 1 de novembro de 2008

AÍ SIM!!!

Aí sim!
Aí sem hem?! Como diria a minha irmã!

Essa semana foi uma semana atípica. Digamos com “vitórias”, certas, inesperadas e almejadas!
(houve também imprevistos e derrotas, mas esses, esquecemos)

O diploma conquistado aos poucos, durante quatro anos:

“O Reitor da Universidade Estadual do Paraná, no uso das suas atribuições e tendo em vista a conclusão...”

Uma surpresa:

“O Município de Cascavel presta uma homenagem especial a Ta”..., com a entrega do Diploma “Gosto pela Leitura”... Em reconhecimento ao saber adquirido por meio da leitura de centenas de obras.
Parabéns! O mundo certamente é melhor graças a você!”

O outro não é um diploma, mas foi muito bom conquistá-lo:

“República Federativa do Brasil
Conselho Nacional de Trânsito
Carteira Nacional de Habilitação”

Aí sim!!!

VISITAS DESDE 01/03/09